Quando foi que você nos deixou?

Há tempos que sua presença constante se apagou
Seu brilho, que parecia eterno,
Tão lindo, tão puro, tão terno,
Já não pulsava como outrora
Quando foi que você nos deixou?

Para fazer par com sua flor, um roso se tornou
E passou a habitar jardins,
Ruas, praças, estradas sem fim,
Mas seu aroma se dissipou agora
Quando foi que você nos deixou?

Era do tipo que não cabia em si
E precisava se explodir
Suas partes ecoavam em multidões
Embalados por suas trovas,
Arrebatando corações
Quando foi que você nos deixou?

Cada encontro prenunciava a certeza de um sorriso
E se movia por essa energia
De doces trocas, amigos constantes
Velhos, novos e de instantes
Quando foi que você nos deixou?

Você, que me ensinou a sorrir
Você, que me mostrou como plantar sorrisos
Você já não estava aqui

Foi uma longa e necessária despedida
Que não sei bem ao certo quando começou.
Eu não sei quando você nos deixou
Só agradeço por ter vindo.

(Thiago Emanuel)